FILME O LEO DE TEBAS DOWNLOAD GRÁTIS

davidarseneaultproductions.info  /   FILME O LEO DE TEBAS DOWNLOAD GRÁTIS
postado por Rosette

FILME O LEO DE TEBAS DOWNLOAD GRÁTIS

| Escritório

    Contents
  1. Livreto Mmsorge Frequencias Fibonacci Download Grátis
  2. Livreto Mmsorge Frequencias Fibonacci Download Grátis | Natureza | Ciência Filosófica
  3. Livros Grátis. Milhares de livros grátis para download.
  4. Portal de Convênios

Working O Leo de Thebas Filme Completo Dublado Duration: Hercules de baixar filmes gratuitos ou fazer download de filmes para assistir online gratis, . Padres do Deserto: Apoftégmas dos Padres da Igreja eBook: Leo Shen: Paulo de Tebas é o primeiro eremita do qual se conhece algo, da tradição do. manuscritos sem ter que fazer download de Como atletas, que, nus, de óleo se untaram, Anfiarau, que morreu no sítio de Tebas, e prevendo a sua.

Nome: filme o leo de tebas download grátis
Formato:ZIP-Arquivar (Filme)
Sistemas operacionais: iOS. Windows XP/7/10. MacOS. Android.
Licença:Grátis!
Tamanho do arquivo:53.69 MB


GRÁTIS DE O TEBAS FILME LEO DOWNLOAD

Segunda Parte A Mstica e o Despertar! Os EEGs de meditadores experientes exibem uma sincronizao hemisfrica acima do comum bem como a capacidade de atingir estes Os cairotas têm uma grande dificuldade em intervir na realidade. Esto associadas a um estado de grande capacidade de reminiscncia, criatividade, visualizao, inspirao e conceptualizao holstica. Assim como era possível encontrar uma autenticidade nos estereótipos de tragédia americana de seu filme O Vencedor que tinha menos indicações ao Oscar mas é bem melhor que Trapaça , Melvin e companhia carregam consigo - em seus figurinos decotados, seus penteados exuberantes, seus comportamentos excêntricos - uma melancolia verdadeira de quem veste camadas e mais camadas de Sonho Americano. Apareceu o gerente. Director: David O. Adorei fazer esse tipo de filme.

Padres do Deserto: Apoftégmas dos Padres da Igreja eBook: Leo Shen: Paulo de Tebas é o primeiro eremita do qual se conhece algo, da tradição do. manuscritos sem ter que fazer download de Como atletas, que, nus, de óleo se untaram, Anfiarau, que morreu no sítio de Tebas, e prevendo a sua. Geraldo Filme, nome artístico de Geraldo Filme de Souza (São Paulo, — São Paulo, 5 de . Geraldo pesquisou e compôs o samba Tebas que conta a história da origem Download disponível em: davidarseneaultproductions.info handle/ Criar um livro · Descarregar como PDF · Versão para impressão . Salvar essa Lei em formato PDF O PREFEITO MUNICIPAL DE NOVA TEBAS, ESTADO DO PARANÁ, no uso de suas atribuições, nas proporções requeridas; Trocar e completar óleo e água em veículos;. .. Revelar chapas e filmes radiológicos e encaminhar ao médico para leitura; Download do documento. Cláudio Thebas é escritor, músico e palhaço. Sua trajetória como palhaço Posteriormente estudou com Silvia Leblon e Leo Bassi. É integrante dos Grupos .

Grandes gavinhas se estendiam por toda parte. Isto era o Paraíso. As necessidades eram satisfeitas antes que fossem sentidas. Com o passar do tempo, as formas vegetais se tornaram mais complexas, mais parecidas com as plantas de hoje. Novamente, se você pudesse ver esta época da história do cosmo com o olho físico, teria ficado pasmo com a abundância de flores palpitantes e flutuantes.

Acabamos de ver, por exemplo, que uma fase puramente mineral de existência foi seguida por uma fase vegetal primitiva, que antecedeu uma era de plantas mais complexas. O grande centro importante do componente vegetal do corpo humano, que se alimenta das ondas de luz e calor que irradiam do Sol, é o chakra do plexo solar solar por ter sido mago de "o assento da alma". Isso porque ele se afasta da mentalidade rígida e fatal do cérebro e afunda no centro dentro de si próprio — às vezes chamado de hara —, que é ligado a toda forma de vida.

Além disso, num exame mais minucioso, podemos ver que a própria Bíblia contém muitas referências, ainda que codificadas, aos chakras. A glândula pineal é pequena e cinzenta, do tamanho de uma amêndoa, situada no cérebro, onde a medula espinhal penetra. Os anatomistas modernos só passaram a compreender a glândula pineal em , quando foram publicados, quase na mesma época, dois artigos, um de H.

Baldwin Spencer. Os cientistas agora sabem que a melatonina é um hormônio, cuja maior parte é produzido pela glândula pineal, principalmente à noite.

Artistas como Peter Breugel, Henri Met Des Bles e, aqui, Hieronymus Bosch com frequência retratavam criaturas proto-humanas com ossos cor-de-rosa e cerosos. Aquecido pelo Sol, seus membros verdes também começaram a se tingir de rosa. Se tivesse durado, a humanidade jamais teria evoluído para além da fase vegetal.

Heródoto, o escritor grego do século V a. C, às vezes é chamado de o Pai da História por ter sido o primeiro a pesquisar e reunir um relato coerente e objetivo da história. Em aproximadamente a. Percorrendo as filas na companhia dos sacerdotes, ele chegou a uma série de colossais entalhes em madeira de seres que reinaram antes de Menes, o primeiro rei humano deles. Estes seres, disseram os sacerdotes, nasceram um do outro", isto é, sem a necessidade de parceiro sexual, pelo método vegetal da partenogênese.

Esta foi a chamada Era de Saturno. Este, o paraíso do povo das flores, foi lembrado como a Era do Sol.

Livreto Mmsorge Frequencias Fibonacci Download Grátis

Em um estado alterado, talvez drogado e com pouca capacidade de se distanciar dos acontecimentos, o candidato era guiado pelos sacerdotes numa jornada xamânica pelos mundos espirituais.

Agora passamos ao terceiro ato, o tema deste capítulo. Terra e Sol se separam. A partir de agora os raios vivificantes do Sol, em vez de iluminar a partir de dentro, brilham para a Terra a partir do céu. Como conseqüência, a Terra se resfria e se torna mais densa. Fica menos gasosa e mais líquida. A história do Gênesis é um relato subjetivo de como evoluiu a humanidade.

Como sugerimos pela imagem perspéctica, ele vê os mesmos fatos de uma perspectiva diferente. No capítulo anterior, vimos que a matéria de certa forma preparou o terreno em que a vida vegetal podia nascer. Agora a vida vegetal, por assim dizer, formou um berço em que a vida animal poderia nascer.

Dito de outra forma, a vida vegetal formou um leito em que caíram as sementes da vida animal. Este é o início do episódio crucial na história chamada de a Queda. De repente, como se fosse impelido por um tremor de terra, ele se via caindo num buraco escuro, lançado no que ele de imediato descobriu ser uma cova de serpentes.

Ele via que, de acordo com a história secreta, a Terra começou a fervilhar de vida animal primitiva. É disse em seguida ao homem, Existem mais verdades ocultas nesta linguagem antiga do que a ciência moderna reconheceria. As plantas se reproduzem por um método chamado partenogênese.

Uma parte da planta cai e uma nova planta cresce. Quem é este que tenta Eva? Quem é a serpente que inflama o mundo de desejo? No capítulo anterior, começamos a ver que a Igreja encobriu suas origens astronômicas, como o início do Gênesis oculta as histórias dos mesmos deuses de planetas que conhecemos de outras religiões mais "primitivas" - o deus Saturno, a deusa Terra e o deus Sol.

À medida que avançamos no que o Gênesis conta da história, podemos ver que este acobertamento das origens astronômicas e o monoteísmo radical da Igreja moderna podem nos impedir de compreender com clareza o que o texto antigo tenta nos dizer. A estrela da aurora claramente é Vênus. Um animal tem a consciência de si como uma entidade distinta que é negada aos vegetais. Se ainda houvesse sumos sacerdotes Saberia bem que digo a verdade. Por que o que menos devemos fazer parece indistinguível daquilo que devemos fazer?

Podemos acreditar no que queremos acreditar. Quando, nos primórdios, a deusa Terra foi atacada pelo deus Saturno, o jovem Sol chegou para protegê-la e, após travar uma grande batalha no céu, derrotou Saturno. Ele agora precisa assistir a outra em que o inimigo foi a grande serpente que deslizou para o Paraíso a fim de corrompê-lo.

Mais tarde o Gênesis deixa de se referir a Elohim e a palavra em geral traduzida como "Deus" é "Jehovah". Também precisamos nos lembrar que, para os antigos, a história da origem do cosmo tratava de como a experiência humana foi formada, de como a experiência adquiriu sua estrutura característica e de como o universo físico foi formado.

Em outras palavras, ela abordava os princípios da natureza humana e das leis do mundo natural. A natureza humana é formada de tal maneira que qualquer poder que eu tenha de resistir a meus desejos animais — o que me impede de me tornar um mero animal — tem origem em minha capacidade de pensar e refletir.

Os sacerdotes iniciados acreditavam que o cosmo precisou se organizar de determinada maneira para criar as condições em que o pensamento humano seria possível. O Livro do Apocalipse afirma o seguinte: "Houve uma batalha no céu.

Assim começou a era da Lua. Mesmo dentro das sociedades secretas, às vezes se ergue um véu. Um dos primeiros historiadores foi um sacerdote babilônio da época de Alexandre o Grande. Os poucos fragmentos restantes dos escritos de Beroso contêm ensinamentos sobre a história das origens da terra, do céu e da raça de hermafroditas, os humanos pré-sexuais que se reproduziam por partenogênese. Beroso descreve como a Terra se tornou habitada por uma raça primitiva.

Ensinou-lhes a construir cidades, a fundar templos, a compilar leis, e explicou-lhes os princípios do conhecimento geométrico. Ele os fez distinguir as sementes da terra e lhes mostrou como colher frutos; em suma, instruiu-os em tudo o que podia atenuar suas maneiras e humanizar sua vida Mas, neste contexto, "descer" também parece trazer consigo um opróbrio moral. Ao dizer que os anjos faziam sexo com mulheres, estaria também o Gênesis afirmando que estes anjos se rebaixaram para participar do mundo material?

E que talvez tenham se enamorado dele? Este livro desapareceu da história exotérica dominante em d. E uma prova do status do livro Jesus Cristo ter claramente reconhecido suas concepções de um reino vindouro e do juízo final do mundo.

Eis o que o Livro de Enoque tem a dizer sobre os anjos que amavam mulheres: Enoque "E aconteceu depois que os filhos dos homens se multiplicaram naqueles dias, nasceram-lhes filhas, elegantes e belas. E quando os anjos, os Sentinelas, viram-nas, enamoraram-se delas, dizendo uns para os outros: Vinde, selecionemos para nós mesmos esposas das progênies dos homens, e geremos filhos. E as mulheres conceberam. E gerastes gigantes. Novamente vemos que a narrativa bíblica codificou em suas histórias os mesmos deuses astronômicos da Grécia e de Roma.

Seguimos a história do puramente material ao vegetal e aos primeiros movimentos de vida animal. Os mais velhos sempre tentam permanecer além do tempo que lhes cabe. Eram os devoradores de consciências.

Queriam engolir a nova vida e criar o que Milton, que sabia tudo da história secreta, chamou de "um universo de Morte". Sacudia suas mechas magníficas e toda a Terra tremia. Foi uma era esplêndida e espetacular que agita a mente, inspirando parte das pinturas, esculturas e da literatura mais imaginativas. Mas também foi uma era um tanto sinistra, carregada de ambigüidade moral. Ele estuprou Io, transformando-a numa vaca. Castigou Liconte por canibalismo, transformando-o num lobo.

O desejo de Apolo por Jacinto levou o belo jovem a se metamorfosear na flor e seu estupro de Dafne terminou na metamorfose dela em um loureiro. Mas e a história dos deuses-peixe? Como se encaixa nisso? Ao reunirmos estas duas coisas, chegamos a uma possibilidade impressionante.

Seria possível que os mitos antigos tenham antevisto a descoberta moderna da ciência de que a vida animal, que acabaria por evoluir até a forma humana, começou com um peixe? Nós deciframos o código do cosmo. Para compreender a história do desenvolvimento destas formas animais, devemos nos voltar novamente para a astronomia e, acompanhando a seqüência em que os antigos acreditavam que os planetas foram criados, chegaremos a uma seqüência encadeada — as constelações do zodíaco.

Para os antigos, as forças da natureza ficavam adormecidas durante o inverno e depois despertavam, exercendo sua influência outra vez na primavera. Por um período de cerca de 2. O ciclo de poderes animados, de impulsos instintivos que circulam pelo cosmo, move-se para um novo plano. Uma vez que temos visto a história lembrada nos mitos, em particular os mitos dos deuses do Olimpo, é natural que os imaginemos como seres humanos anatomicamente modernos.

Mas, para um olho físico, se tal coisa existisse, teria parecido completamente diferente. Isso porque o que estas imagens imaginativas representam é o início e o desenvolvimento de formas primitivas de vida.

Os antigos compreendiam este impulso evolutivo como um deus. Se a vida primitiva na Terra - a vida que por fim evoluiria para a vida humana - assumiu uma forma primitiva de peixe, foi porque um deus assumiu esta forma e, por assim dizer, perpetrou a vida na Terra com ela. Assim, vemos novamente que os gregos e os egípcios assim como os gregos e os hebreus, adoravam o mesmo deus numa roupagem cultural diferente. Esta lanterna era a glândula pineal; projetando-se do alto, ela ainda aparece em alguns répteis, como a espécie de lagartos Tatuara da Nova Zelândia.

Sensível ao calor e ao frio de outros seres vivos, próximos ou distantes, a lanterna podia intuir a natureza íntima deles. Estes proto-humanos podiam intuir também a natureza dos vegetais, avaliando sua adequabilidade como alimento ou remédio - como alguns animais podem fazer. Devemos imaginar a fala destes humanos-anfíbios parecida com o bramido de um cervo.

GRÁTIS TEBAS DOWNLOAD FILME LEO DE O

Os humanos com cabeça de lanterna mais tarde foram idealizados como unicórnios. A deusa Terra ainda lhes dizia o que fazer por clarividência. Assim, as leis natural e moral eram a mesma coisa. Esta verdade histórica é belamente retratada na famosa tapeçaria do Musée de Cluny, em Paris, na qual o unicórnio pousa a cabeça no colo de uma virgem. Nossa memória coletiva do unicórnio é, claramente, de uma criatura caçada.

Vimos que o desejo existiu originalmente de forma independente da humanidade, e assim continuaram, desintegrados na forma proto-humana. Estes desejos desregrados eram os dragões da mitologia. À medida que a superfície pantanosa da Terra começava a endurecer e se tornar parecida com a terra seca, começou a fase seguinte do desenvolvimento da forma humana. Este foi o início da Era de Capricórnio, quando os protohumanos desenvolveram panturrilhas e membros para rastejar e realizar os desejos animais que neles germinavam.

À medida que continuava a endurecer e se tornar mais densa e mais seca, a Terra encolhia ainda mais, e assim um ser podia prosperar apenas a custa de outro. Ele foi claramente o mensageiro e escriba dos deuses, conhecido como Hermes para os gregos e Tot para os egípcios. Ele também era o deus dos truques e do roubo. Esta forma de interpretar ou decodificar a Bíblia veio à tona entre os neoplatonistas e os primeiros cabalistas, e foi elucidada por grupos como os rosa-cruzes. Para eles, a história do mundo foi escrita nas estrelas.

Esta história secreta foi codificada no zodíaco, escrita por iniciados como Jacob Boehme e Robert Fludd, e preservada e realizada nos tempos modernos por grupos esotéricos, mas sempre e muito deliberadamente de uma forma que era difícil de ser compreendida pelos que eram de fora.

O fascínio por estas idéias levou a um interesse renovado na cabala e em outras tradições ocidentais, e ajudou a incitar a moda do espiritualismo. Muitos dos grandes intelectuais do período se interessaram em tentar aplicar a metodologia científica aos fenômenos espirituais e espiritualistas.

Em , Charles Darwin compareceu a sessões espíritas com a romancista George Eliot. Rival de Darwin, A. Como veremos adiante, muitos intelectuais importantes, inclusive cientistas, acreditavam que havia algo na filosofia esotérica e que a ciência e o sobrenatural um dia se uniriam.

Ele traduziu os livros sagrados do Oriente em 15 volumes, tornando as doutrinas esotéricas orientais amplamente disponíveis pela primeira vez. Também foi muito amigo de Darwin, com quem manteve uma correspondência regular. A origem das espécies foi publicada em Houve becos sem saída, inícios falsos e até tentativas deliberadas de sabotagem. Na verdade, as tradições de uma raça antediluviana podem ser encontradas em todo o mundo, dos Danavas e Daityas da Índia aos mao-tsé da China.

A roupagem que os deixava parecidos com budas era feita de gesso e dizem ter sido acrescentada posteriormente. Maneto, um historiador egípcio do século III a. C, também registrou tradições da estirpe dos Sentinelas, "eles Esta foi, portanto, a era lembrada nos grandes mitos e encontra eco na literatura de fantasia, como O senhor dos anéis, de J. Legiões de anões, sílfides, ninfas, dríades e outros seres espirituais menores serviam aos deuses e humanos com os quais conviviam, travavam batalhas e às vezes se apaixonavam.

Eles surgiram porque alguns espíritos humanos encarnaram cedo demais, antes que a anatomia humana estivesse aperfeiçoada. É claro que nenhuma das criaturas fabulosas deixaram algum vestígio no registro fóssil. Assim, por que os grandes homens e mulheres da história, que foram iniciados nas sociedades secretas, acreditavam neles?

Livreto Mmsorge Frequencias Fibonacci Download Grátis | Natureza | Ciência Filosófica

Por que uma pessoa inteligente nem sequer começaria a brincar com a idéia? Os egípcios inquestionavelmente acreditavam que seu deus mais importante andara entre eles nos tempos antigos, liderara-os em batalhas e os governara com sabedoria e bondade.

Sei o que acontece, porém Nas passagens seguintes, usei o relato de Plutarco como base, entrelaçando com material adicional de outras fontes. Precisamos começar imaginando um mundo em guerra, pilhado por monstros e animais selvagens. Osíris era um grande caçador, um "Senhor das Feras" — lembrado na mitologia grega como Órion, o caçador, e na mitologia escandinava como Herne, o caçador - e um grande guerreiro.

Ele livrou a terra de feras predadoras e derrotou exércitos invasores. Ao voltar de uma campanha militar, Osíris foi recebido por multidões que o aplaudiram, pelo populacho que o amava.

O reinado de Osíris, embora a todo tempo sob ataque de estrangeiros, seria lembrado como uma era de ouro. Também foi uma era de felicidade doméstica e civil. Nos tempos antigos, ele era um pênis que se tornava ereto à medida que o novo ano progredia. Depois do jantar, Set anunciou um jogo.

Por fim, Osíris subiu nela e se deitou. Um pé de tamarindo novo e tenro ali cresceu, envolvendo a arca com seus ramos, e um dia a envolveu por inteiro, encerrando-a amorosa e protetoramente em seu tronco. Depois de um tempo, assumiu o emprego de serva na corte de um rei estrangeiro. Ela partiu de barco e desembarcou na ilha de Chemmis, no delta do Nilo. Enquanto ela estava deitada dormindo, ele atacou o casal de amantes.

Ísis usava sete véus para se disfarçar dos lacaios de Set e foi auxiliada por Néftis. Elas recuperaram todas, exceto o pênis, que foi devorado por um peixe do Nilo. Elas chegaram a uma ilha em Abidos, no Sul do Egito, e ali, numa noite, Ísis e Néftis uniram as partes remanescentes em bandagens, usando um longo pedaço de linho branco.

Por fim, Ísis confeccionou um pênis de ouro e o prendeu nele. Hórus cresceu para vingar a morte do pai matando seu tio Set. Osíris, enquanto isso, vivia no submundo como rei deste e Senhor dos Mortos. Ele foi representado com mais freqüência neste papel pelos egípcios, em geral com uma face verde, pesadamente enfaixado e aparentemente imóvel, mas emanando um poder que é simbolizado em sua insígnia real, carregando o gancho e o chicote.

O que isso significa? Como podemos decodificar? Hórus depõe Set e o suplanta. Em outro nível, talvez o mais óbvio, este é um mito da fertilidade sobre o ciclo anual das estações. Mitos do deus-rei ressurrecto eram contados em todo o mundo, de Tamuz e Marduk às histórias do rei pescador associadas a Parsifal e ao ciclo do rei Artur. Quando molhado, o milho germina através do saco, o que representava que o grande deus estava renascendo.

O problema é que ele tendia a ser apreciado à custa de todo o resto. Este segredo era um segredo histórico.

Para chegarmos a esta verdade, precisamos agora ver uma história igualmente estranha e perturbadora dos mitos gregos. As fontes discordam quanto à paternidade de Dionísio. Alguns dizem que seu pai era Hermes, outros dizem ter sido Zeus. Eles cobriram o rosto com gesso branco para que ninguém soubesse que eles eram os filhos de cara negra do deus-corvo. Levou-o a Zeus, que cortou um buraco em sua coxa, inseriu-o em seu corpo e o costurou. Depois de um tempo, assim como Atena surgira plenamente formada da cabeça de Zeus, o Dionísio renascido surgiu completamente desenvolvido da coxa de Zeus.

O mundo parecia muito diferente aos olhos físicos que evoluíam nesta época. Aos poucos, porém, a matéria se tornou mais densa. Conforme endurecia, a matéria tornava-se uma barreira maior ao livre fluxo da mente cósmica. A calota óssea do crânio endureceu, fechando a Lanterna de Osíris, obstruindo assim a grande mente cósmica. O homem agora tinha algum espaço em si no qual pensar. Os acontecimentos do lado de fora da caverna lançam sombras na parede, que os prisioneiros supõem ser a realidade.

Mas as pessoas que acreditavam no idealismo viviam o mundo de uma forma idealista e também entendiam o idealismo como um processo histórico.

A caverna aqui é a calota óssea do crânio. O crânio é um ambiente escuro e rígido, recoberto de carne. O cérebro é o objeto físico mais complexo, sutil, misterioso e miraculoso conhecido no universo. De acordo com a doutrina secreta, o cosmo criou o cérebro humano para que fosse capaz de pensar em si mesmo. Se é um idealista, você acredita que o universo foi criado pela Mente para as mentes.

De forma mais específica, você acredita que a Mente cósmica criou o universo material a fim de dar à mente humana a forma que ela tem. Nossa consciência agora tem a estrutura que tem porque os corpos celestes se alinham acima de nós da maneira que o fazem. Com a Lua em seu lugar, refletindo a luz do Sol para a Terra, e com este processo sendo reproduzido no microcosmo dentro do crânio humano, com a matéria tendo por fim se tornado densa o bastante para que a mente humana "se fechasse", chegamos ao ponto em que a anatomia e a consciência humanas alcançaram uma forma que reconheceríamos hoje.

As condições fundamentais que possibilitaram que o homem refletisse, isto é, que pensasse, agora estavam em seus devidos lugares.

A humanidade entregou-se inteiramente à sexualidade animal. Os ossos humanos endureceram e se tornaram materiais. Um crânio humano virou algo meio vivo, meio morto. É por isso que é um axioma da doutrina secreta que o início da morte foi o nascimento do pensamento. Dizia-se que este é um dos motivos para que o homem seja, comparativamente, um animal doentio.

O pensamento humano é um processo letal, restringindo ao mesmo tempo o crescimento e a longevidade. Quando começaram a assumir características animais, começaram também a viver um antegozo da morte. Esta foi uma experiência como a do sono cheio de sonhos. Depois de um tempo, eles "despertariam" novamente no mundo material. O chamado da morte era cada vez mais alto, até que se tornou quase esmagador. O sono se aprofundou até ficar similar à morte, e depois se tornou morte.

Agora o homem afinal estava enredado nos ciclos selvagens da vida, morte e renascimento, ciclos em que as criaturas devem morrer para abrir caminho para novas gerações. Eles agora viviam em um lugar em que os pais deviam morrer para dar lugar aos filhos, onde o rei devia morrer para dar lugar a um sucessor mais novo e mais vigoroso. Os eruditos conseguiram reunir referências textuais com entalhes no complexo da Pirâmide em degraus em Karnak, perto do Cairo, a fim de entender algo do que deve ter acontecido nos rituais "Heb-Sed" que aconteceram ali.

Ali, ele passaria por uma série de provas de força e potência, inclusive correr com um touro para tentar provar que, como ele próprio gritava em ritos, "Sou livre para correr pela terra". Se o faraó fracassasse nestes testes, sofreria a mesma morte sangrenta do touro. Chegamos a uma época essencial na história secreta do mundo, quando a matéria precipitou da mente e endureceu a tal ponto que o crânio humano assumiu uma forma muito parecida com a de hoje.

Um ser humano conduzido a uma sala de trono podia ver outro ser humano sentando-se diante dele, ou pelo menos o que parecia ser um homem. Depois disso, Krishna se retrai para sua forma humana e mostra a face comum e gentil para tranqüilizar o apavorado Arjuna.

DE LEO TEBAS O GRÁTIS FILME DOWNLOAD

Osíris pode, da mesma maneira, ter possibilitado esta experiência a alguém que tenha entrado na sala de seu trono em Tebas. Jacob Boehme descreveu um mundo de pedra recortada, madeira entalhada, de mantos reais, carne e sangue como "Mundo Exterior". Ele pretendia ser um pouco aviltante. Sabia que o mundo interior, acessível ao terceiro olho, era o verdadeiro, e os seguidores de Osíris agora se apegavam ao mundo sangrento, cheio de dor e morte.

Portanto, o mito de Osíris tem muitos níveis de significado, mas é sobretudo um mito sobre a consciência. Ele nos informa que devemos todos morrer - mas para renascer. Desde os tempos antigos, estas técnicas estiveram entre os segredos mais bem guardados nas escolas de Mistérios e sociedades secretas. Por exemplo: hoje nos é muito difícil ver as pinturas e entalhes do falo ereto que adorna as paredes de templos hindus ou egípcios e imaginar como os antigos pretendiam que eles fossem "interpretados", pois no mundo moderno a espiritualidade foi, para a maioria das pessoas, desvinculada do sexo.

Cada partícula de espermatozoide continha uma partícula da prima matéria da qual tudo era feito, uma partícula que podia explodir com incrível calor abrasador e formar todo um novo macrocosmo. O desejo nos torna obstinados. Quando desejamos alguém, nós o "reificamos", para usar um termo de Jean-Paul Sartre. Um homem no mundo antigo podia ver uma mulher a quem desejava e ser tomado por um desejo assustador e dominador.

Ele também sabia que as raízes de seu desejo tinham origens muito profundas e um tanto anteriores à sua vida presente. Como se o planeta do amor os tivesse guiado para este encontro, também os outros grandes deuses do céu teriam preparado esta experiência para eles por muitos milênios e muitas encarnações.

Os antigos sabiam de outra verdade, a de que, quando eles contemplavam sua própria vontade, também estavam olhando algo que fora formado muito antes de eles nascerem. Eles sabiam também que a forma como faziam amor teria um efeito no cosmo pelos milênios que se seguiriam. Vivemos num mundo decaído. Assim como miríades de espíritos nos ajudam a crescer e evoluir, outros, igualmente numerosos, também trabalham para nos destruir e ao próprio tecido de nosso mundo.

E devido a Néftis - a Sofia - que todos precisamos tocar o fundo rochoso, viver o pior que a vida tem a oferecer, para lutar com nossos demônios, testar os limites de nosso intelecto e viajar para o outro lado da loucura. Sabemos, por Plutarco, que na Antigüidade Isis era identificada com Atena, a deusa da sabedoria dos gregos. Despreocupadas, elas costumavam brincar nas planícies de Anatólia, fazendo jogos, travando lutas de brincadeira com lanças e escudos.

Mas um dia Atena se distraiu. Ela escorregou e matou Palas, perfurando-a por acidente. A partir daí, ela passou a se chamar Palas Atena para reconhecer o lado sombrio de si mesma, assim como de certo modo Néftis representa o lado sombrio de Ísis. Quando o povo de Anatólia a manteve em sua capital, Tróia era a maior cidade do mundo.

Os gregos queriam saber o que os troianos sabiam. Mais tarde ela foi enterrada sob Roma em toda sua glória, até que o imperador Constantino a transferiu para Constantinopla, quando esta se tornou o centro da espiritualidade no mundo. Grandes forças como estas escrevem a história do mundo até o presente.

Parecia que os grandes deuses, como Zeus ou Palas Atena, só faziam sentir sua presença e intervinham diretamente nos assuntos humanos em tempos de crise. Nas escolas de Mistérios, ensinava-se que viria uma mudança decisiva neste sentido por volta de A Partir daí os deuses superiores encontrariam dificuldade para descer abaixo da Lua.

Suas visitas à superfície da Terra se tornaram pouco freqüentes e fugazes. Sem a presença dos deuses superiores para reprimi-la, a progênie de Saturno, com aparência de caranguejo, que fora aprisionada nas cavernas subterrâneas, começou a ganhar a luz do dia de novo, infestando a superfície da Terra e pilhando a humanidade.

Monstros marinhos também saltaram para as margens para arrastar os membros da tribo que chegavam perto demais. Gigantes levavam o gado e às vezes também predavam a carne humana.

Ocorreram grandes guerras entre seres humanos e exércitos de outras criaturas errantes de épocas anteriores. Arrastaram a noiva e a estupraram - e também a suas damas de honra e padrinhos. À medida que os ossos se tornavam mais densos, o mundo animal começou a sentir seu peso. Conforme a queda da humanidade continuava, o mesmo aconteceu com a natureza.

Adquiriu dentes e garras vermelhas. Leões e lobos começaram a atacar seres humanos. As plantas desenvolveram espinhos para arranhar e dificultaram a colheita dos frutos. Além disso, plantas venenosas evoluíram, como o acônito. O friso do Partenon também registra batalhas contra as amazonas, uma raça de guerreiras que foram as primeiras a montar cavalos em batalhas.

Usando armadura de peles e portando escudos em formato de meia-lua, sua cavalaria ceifava fileiras de soldados a pé.

DOWNLOAD FILME TEBAS O GRÁTIS LEO DE

Elas eram magníficas e representavam uma nova forma de comportamento humano, pois junto com a possibilidade de morrer veio também a de matar. Se nos cortam, sangramos. Se nos cortam fundo ou com freqüência, morremos. Alguns seres humanos começaram a ter prazer com isso. O Livro de Enoque descreve como a superfície da Terra ficou coberta de exércitos em guerra e afirma que "a carne humana tornou-se perversa".

Caía uma sombra sobre as relações humanas. Agora era possível que um centro de consciência acreditasse estar separado de outro. Sem algum isolamento, nenhum ser humano pode viver como indivíduo, ninguém poderia sentir na testa o fogo ardente que impeliu Caim.

Mas é claro que havia armadilhas nisso A história mostra que o homem tem pavor de seres humanos com outras formas de consciência, o que em geral consideram difícil de tolerar. Agora o homem estava livre para cometer erros, escolher o mal e desfrutar dele.

A Terra ficou mais fria, rígida e perigosa de muitas maneiras diferentes. A partir desse momento, teriam que colocar em risco o que mais valorizavam, ou o perderiam. Este ponto, como descobriram, precisava ser alcançado. Abrir essa carapaça e expor a parte sensível delas mesmas a melhor parte, que as trouxe à vida de novo - era um processo sangrento e doloroso, que poucos podiam enfrentar.

O mundo ficou mais escuro, um lugar de paradoxos, onde os opostos se encontram e onde é doloroso ser humano, um mundo que apela por heroísmo. Tífon surgiu do mar e seguiu direito para o Olimpo, cuspindo fogo pela boca e bloqueando o Sol com suas asas de morcego. Zeus tentou atingi-lo com raios, mas Tífon os afugentou.

Tífon levou os nervos e se retirou para uma caverna a fim de curar seus ferimentos. Ela fora levada por Zeus, disfarçada de touro branco. Tífon lhe entregou os nervos de Zeus e Cadmo lhe disse que precisava voltar para sua cabana de pastor para colocar as cordas na lira. Foi assim que Zeus recuperou seus nervos e pôde surpreender o monstro, derrotando-o e enterrandoo sob o monte Etna. O que é importante observar aqui é que Zeus só foi salvo com a ajuda de um herói.

Os deuses agora precisavam do homem. Gênesis Após o nascimento de Matusalém, Enoque andou com Deus durante trezentos anos, e gerou filhos e filhas. Enoque andou com Deus, e desapareceu, porque Deus o levou. O que se diz que ele descobriu, e que significa que inventou, é a própria linguagem. Nisto ele pode nos lembrar do Jesus dos Evangelhos, cativando grandes multidões mas sentindo a necessidade de se retirar e ficar sozinho com os grandes seres espirituais que se revelam para ele.

Em seguida ele ensinava apenas um dia por semana, depois um dia por mês e por fim um dia por ano. Primeiro, os momentos decisivos aparecem quando grandes pensadores como Sócrates, Jesus Cristo e Dante refletem pela primeira vez sobre algo que ninguém jamais havia cogitado. Enoque é uma das maiores figuras da história secreta do mundo porque fez um relato completo do que podíamos chamar, em termos atuais, de ecossistema dos mundos espirituais. Isso porque, de acordo com a doutrina secreta, toda linguagem se originou do batismo dos corpos celestes.

A linguagem e a arte agora permitiam que o homem se apropriasse desses pensamentos cósmicos. Enoque se isolava cada vez mais nas montanhas, onde o solo era inóspito e o clima, tempestuoso. Ali eu vi o lugar de onde eles saem e tornam-se saturados com o pó da terra. Enoque montou no cavalo e cavalgou para o céu. Nas histórias do deus-homem Hércules, vemos a que profundidade a humanidade pode cair. Hércules queria ficar só para cuidar de sua vida material e desfrutar dos prazeres mundanos - beber, festejar, brigar -, mas foi repetidamente interrompido por seu dever de seguir o destino espiritual.

Uma figura desajeitada, grosseira e às vezes risível, Hércules estava dividido entre forças cósmicas opostas. Ovídio também mostra que Eros começou, à medida que os deuses se retiravam, a fazer suas estrepulias.

Hoje, se nos apaixonamos por uma pessoa bonita, podemos muito bem ver a beleza como um sinal de grande sabedoria espiritual. Quando olhamos em seus lindos olhos, podemos esperar encontrar ali o próprio segredo da vida. Agora era possível olhar nos olhos de alguém belo e ser ludibriado pelo que se via. A sexualidade ficara capciosa. O que é melhor para mim e o que é pior para mim, aquilo que mais devo fazer e aquilo que menos devo fazer ficaram muito semelhantes. Os 12 trabalhos de Hércules mostram-no passando por uma seqüência de provações criadas por sucessivos espíritos que regiam as constelações.

É uma série de provações pela qual todo homem passa, e de modo geral a suporta inconscientemente, como Hércules. Ele é o homem comum, preso num círculo de dor. Para os antigos, que acreditavam que cada coisa que acontecia na Terra era guiada pelos movimentos de estrelas e planetas, quanto mais uma narrativa trazia estes padrões "poéticos", mais verdadeiro e realista era o texto. É verdade que, em certo nível, suas aventuras representam o começo do entendimento da humanidade com a realidade da morte.

Quando eles lutavam com monstros e demônios, estavam enfrentando forças que infestavam seus próprios seres, a carne humana corrompida, o labirinto escuro do cérebro humano.

Mas também combatiam monstros reais de carne e osso. Se compararmos a história de Teseu e o Minotauro com o mito muito mais antigo de Perseu e a górgona Medusa, podemos ver que na época de Teseu a taxa de metamorfose parecia estar se reduzindo. Por outro lado, o Minotauro, o homem com cabeça de touro, ao que parece é um sobrevivente raro ou errante de uma época anterior. Isaac Newton revelou parte da sabedoria secreta de sua irmandade quando disse que a busca pelo Velocino, assim como os trabalhos de Hércules, mostra o progresso do Sol pelos signos do zodíaco.

Mas talvez a ciência só nos mostre o que aconteceu na superfície. Quem sabe se coisas mais importantes ocorreram por baixo? O que a história secreta preserva é uma lembrança da experiência subjetiva, das grandes experiências que transformaram a psique humana. O que nos conta mais sobre a realidade do ser humano neste período, o relato científico ou o relato esotérico codificado nos mitos antigos? Poderiam estes níveis de verdade ou realidade estar presentes nos eventos de hoje, mas ausentes da consciência orientada pela ciência que usamos para trafegar pelos engarrafamentos, supermercados e e-mails?

Ao voltar, apaixonou-se por Eurídice, mas no dia do casamento ela foi mordida no tornozelo por uma cobra e morreu. Cego pela tristeza, Orfeu desceu ao Subterrâneo. Orfeu encantou também os demônios terríveis cuja tarefa era retirar dos espíritos dos mortos os desejos animais degenerados que ainda se agarravam a eles. Por fim, ele chegou ao local onde o Rei do Subterrâneo mantinha sua amada presa.

Ele viu o amor de sua vida ser arrancado repentinamente dele, descendo pelas passagens de pedra, fora de vista, desaparecendo no Subterrâneo como uma réstia de fumaça. Outros heróis mais musculosos tiveram sucesso em suas empreitadas, travando combates ferrenhos nos limites de suas forças e resistência, sendo corajosos e jamais desistindo. Mas os tempos estavam mudando.

Os grandes iniciados que preservaram esta história para nós queriam que entendêssemos que Orfeu fracassou porque tentou fazer o que todo bom herói havia feito - ele tentou se assegurar. Jogaram sua cabeça no rio e ela flutuou correnteza abaixo, ainda cantando. Enquanto flutuava, os salgueiroschorões tomavam as margens. Mais adiante, veremos uma ambigüidade semelhante em muitos grandes cientistas. Dédalo ficou famoso por ter feito asas de cera e penas para que ele e o filho, ícaro, fugissem de Creta.

Portanto, hoje o reconheceríamos como inventor, engenheiro e arquiteto. Circe e Medeia precisaram trabalhar para alcançar seus feitos sobrenaturais, usando poções, feitiços e encantamentos.

Alguns magos também tentaram curvar os grandes deuses à sua vontade, atraílos Para abaixo da Lua. No final desse período, a humanidade e a natureza estavam doentes. Inspirar imagens de beleza, verdade e amor funcionava na humanidade em um nível abaixo daquela da mente consciente. Elas eram mais poderosas do que qualquer ensinamento moral abstrato e explícito. Orfeu foi o fundador mítico dos mistérios gregos que iluminariam e inspirariam os gregos antigos. Jó era um homem bom, e no entanto perdera todo seu dinheiro.

Seus filhos e filhas morreram. Enquanto isso, o mal prosperava. Hércules tinha sido o divertimento dos deuses, mas foi Jó quem gritou aos céus em desafio. A linguagem permite que nos distanciemos do mundo. De certo modo, podemos colocar a experiência na ordem que desejarmos. Além das vantagens que trouxe, a linguagem deixou o mundo mais frio, mais escuro e mais enganoso.

Vimos antes que o pensamento é em si um processo enfraquecedor. A linguagem também nos torna enfermiços, menos vivos e menos seguros em nossas andanças pelo mundo.

Assim, a linguagem trouxe uma nova forma de consciência. Antes de Jó as pessoas achavam que tudo o que lhes acontecia era para ter acontecido, que havia um propósito divino em tudo. Agora a linguagem permitia que Jô retrocedesse.

Ele começou a perceber incoerências. A vida é injusta. Ou entraste tu até as origens do mar, ou passeaste no mais profundo do abismo? Ou descobriram-se-te as portas da morte, ou viste as portas da sombra da morte? Es tu que atas os laços das Plêiades, ou que desatas as correntes do Órion? Ele estava ciente de que a experiência humana como um todo estava de certo modo diminuindo. Jó se refere, é claro, à "Lanterna de Osíris". Hoje a palavra "apócrifo" tem associações pejorativas, mas na verdade tem um significado oculto — ou esotérico.

Os filhos e filhas de Jó lhe foram devolvidos, sendo que as filhas usando guirlandas de ouro. Na história secreta, portanto, pela primeira vez é possível determinar as datas de grandes eventos. Na mitologia egípcia, a Fênix chegou para marcar o início de uma nova era, e a Fênix, ou a ave Bennu, é o símbolo do ciclo sótico de 1. A sincronia destes dois ciclos, o anual e o sótico, aconteceu em O início deste ciclo era claramente muito importante para os egípcios antigos.

Tentando deduzir que ciclo pode ter sido o "primeiro", ele de início foi atraído pela idéia de que podia ser Em seguida Bauval deduziu que na data de Além disso, também ocorreu a ele que nesta data de A esfinge, de acordo com a história secreta, é um monumento que celebra a primeira vez em que os quatro elementos se uniram e a matéria afinal se solidificou. Ele estava lembrando este momento crucial na história do mundo da maneira que o idealismo o concebia, quando a consciência por fim é fixada na matéria sólida.

A esfinge, portanto, tem um lugar muito especial na história contada pelo idealismo. Ela marca o ponto em que finalmente se formou a matéria sólida que hoje conhecemos, depois de ondas após ondas de emanações da mente cósmica. E por isso que talvez seja o maior ícone do mundo antigo. A esfinge exige que Édipo decifre um enigma: "O que anda sobre quatro pernas, depois em duas e em seguida sobre três pernas?

A morte da esfinge é uma forma de mostrar que nesta época os deuses dos elementos, aqueles que organizam os princípios do universo, foram absorvidos com sucesso no corpo humano.

A medida que as leis da natureza se tornaram fixas e mecânicas, o ser humano foi aprisionado por elas. Também impede o caminho de volta. No Gênesis, é um dos querubins que bloqueia o caminho de volta ao Eden, e os egípcios chamavam a esfinge, feita de quatro querubins, de "hu", que significa protetor.

Vejamos o relato platônico. A maior ilha era dominada por uma linda e fértil planície e uma grande colina. Ali morava Cleito, e seu povo desfrutava de alimentos que cresciam em abundância na ilha. Para manter Cleito para si mesmo, Poseidon tinha uma série de canais circulares em volta da colina. Muitas paredes eram cobertas de metais — bronze, estanho e um metal vermelho, que nos é desconhecido, chamado oricalco.

As ilhas de Atlântida eram governadas por dez reis, cada um com seu reinado, sendo que nove eram subservientes ao governante da ilha maior. Touros perambulavam livremente pela floresta de colunas deste templo e a cada cinco ou seis anos os dez reis que governavam as ilhas ficavam a sós no templo para caçar os touros sem usar qualquer arma. Eles capturavam um, levavam-no para a grande coluna de oricalco, onde estavam inscritas as leis de Atlântida, e ali o decapitavam.

A vida nas ilhas de Atlântida em geral era idílica. As ilhas foram submersas até que só restaram pequenas ilhotas, como um esqueleto se projetando do mar. Depois, um grande terremoto engolfou, no decorrer de um dia e uma noite, tudo o que sobrara. Proclo afirma que trezentos anos depois de Sólon, Crantor, guiado pelo sacerdote de Sais, viu colunas recobertas de hieróglifos que contavam uma história de Atlântida.

Um historiador grego do quarto século a. As vezes esta terra era chamada de "Aztlan das Sete Cavernas". Era retratada como uma grande pirâmide de degraus, cercada por seis pirâmides menores. A geologia atual nos diz que à medida que as calotas de gelo derreteram, uma série de inundações irrompeu do norte. Em abril de , histórias de mergulhadores, contadas por pescadores locais, foram usadas para localizar a cidade perdida dos Sete Pagodes na costa de Mahabalipuram, na índia.

Nenhum erudito contesta que algumas destas narrativas de culturas mais antigas proporcionaram material que serviu de fonte para a história bíblica. Ele também aparece no relato mesopotâmico, em que é chamado de Atrahasis, e no babilônio, que o batizou de Upnapishtim. Derrube a cabana de junco e construa um barco, ele ouviu. Depois, por seis dias e seis noites a tempestade grassou e seu barco foi agitado pelas ondas.

No sétimo dia, ouvindo os ventos começarem a diminuir, Noé abriu uma janela e a luz atingiu seu rosto. O mundo estava em silêncio, pois toda a humanidade tinha voltado ao barro Quando Noé e sua família desembarcaram e colocaram os pés em terra seca, algo muito estranho aconteceu.

Tendo bebido vinho, embriagou-se e apareceu nu no meio de sua tenda. É inteiramente adequado que Noé tenha se tornado agricultor, pois a arqueologia nos diz que a agricultura começou neste período, o Neolítico. Mas o que fazer com a estranha história de sua nudez e embriaguez? Precisamos desembaraçar diferentes fios de histórias relacionadas com duas figuras de mesmo nome. Dionísio é o nome de dois indivíduos distintos, um deus e, mais tarde, um semideus.

Os dois fizeram contribuições muito diferentes para a história humana em duas épocas distintas. O Dionísio que deve ser identificado com Noé é muito diferente do Dionísio Zagreus anterior, o Dionísio o Velho, cujo desmembramento contamos no Capítulo 6.

Seriam eles filhos de um ser humano ou de um semideus, de um homem ou de um anjo? As bacantes desregradas e selvagens dilaceraram membro por membro de Orfeu com os dentes e as unhas. Os povos primitivos sempre viveram em sintonia com a parte vegetal de sua natureza.

Um dos resultados disso é que eles compreendiam que diferentes plantas têm efeitos distintos na biologia, na fisiologia e na consciência humanas. Qual símbolo externo do impacto do pensamento humano organizado na natureza é maior do que os campos de trigo?

Agora a tarefa dos líderes da humanidade seria forjar a nova consciência orientada pelo pensamento. Ele insta seu povo a "expandir a terra cultivando-a". E a mesma jornada também é descrita no Zend-Avesta como "a marcha do Ram na índia". Enquanto os povos de Atlântida foram completamente eliminados, os emigrantes viajavam para novas terras ainda ocupadas por tribos aborígines. O Ramayana descreve como Rama e seus seguidores de repente invadiram estes templos com tochas e expulsaram sacerdotes e monstros.

Seu reinado repousa no fundo dos mares. Por fim, depois de uma batalha que durou 13 dias, Rama matou Ravana ateando-lhe fogo. Podemos ver Rama como um Alexandre o Grande neolítico. Depois da conquista da índia, ele teve o mundo a seus pés. E ele também teve um sonho. A pele dela era branca como a neve e ela usava uma coroa magnífica. Eles nunca voltaram a se ver, vivendo o resto de suas vidas separados. Histórias sobre a vida de Sita depois desse episódio sugerem que ela foi feliz, como prometeu o anjo da guarda.

Havia algo muito moderno na ambigüidade e incerteza dessa história. Por outro lado, a história de Rama contém um elemento de surpresa moral. A história de Rama nos incita a ver além do convencional, a nos imaginar na mente dos outros e também a pensar por nós mesmos. O pensamento esotérico sempre procurou solapar e subverter os modos de pensamento convencionais, habituais e mecânicos. Se a grande arte e a literatura proporcionaram padrões, um senso de leis que operam para além do pensamento convencional, a grande arte esotérica trouxe estas leis para perto da superfície da consciência.

Livros Grátis. Milhares de livros grátis para download.

A história de Rama também nos leva de volta à idéia de que, segundo a história secreta, o cosmo foi formado a fim de criar as condições em que as pessoas viveriam o pensamento livre e o livre-arbítrio.

Rama tentou ajudar o homem a evoluir livremente. Rama é um semideus, mas dispensa o papel de governante do mundo. Teto do mundo, o Tibete é o maior e mais alto platô cercado por elevadas cadeias montanhosas. Algumas tradições dizem que os tibetanos descendem diretamente dos atlantes.

Das fortalezas nas montanhas do Tibete fluíam regatos de espiritualidade viva que se uniram, ganharam força, profundidade e largura e se tornaram um rio poderoso como o Ganges, que alimenta toda a Índia.

Os banhos gelados e outras formas de tortura autoinfligida dos ascetas podem ser vistos como parte do esforço para se manter consciente dos mundos espirituais. Um esforço consciente foi feito por eles, enquanto o véu ainda era relativamente transparente, para lembrar as feições do mundo espiritual e imprimi-las de maneira indelével na consciência humana. Germain, viajaram para a índia em busca dessa astralidade. Depois de Rama rejeitar a coroa, nenhuma personalidade dominou este período.

Viviam nos prédios de barro ou em simples abrigos retorcidos na forma de raízes e gavinhas. O mesmo pode ser dito de "espiritual", em geral usado por pessoas que querem se jactar de serem boas ou éticas de uma forma calorosa, vaga e talvez pseudomística. O que de fato significa "espiritual" é a capacidade de ver, ouvir e se comunicar com os espíritos, assim como os adeptos indianos.

Eles também podiam se comunicar de maneiras ocultas. Ao respirar o mesmo ar de alguém, eles podiam sentir a vida interior desta pessoa. Os adeptos eram capazes de verter seu conhecimento na alma dos outros em um fluxo incessante de imagens. O olhar deles podia afugentar serpentes e acalmar leões e tigres. Só comiam matéria vegetal, jamais carne. Isto, acreditavam eles, era absorver a agonia da morte do animal.

E sabiam envolver os outros num feixe protetor de amor que emanava do chakra cardíaco deles. Três delas, as maiores que eles viam, subiam para a cabeça. Uma subia para o olho direito e correspondia ao Sol e ao futuro. Outra subia para o olho esquerdo e correspondia à Lua e ao passado. E era por esta rota da artéria média que o espírito partiria através da coroa e sairia do corpo na morte.

De certa forma, também foi um período indolente que teria de terminar para que o progresso acontecesse. Para os antigos, toda vida pulsa, tem ritmo ou respira. Viam grandes bandos ou cardumes de almas sendo inspirados e expirados juntos da vida material. Ainda podiam aparecer como espectros semimateriais ou fantasmas, mas mesmo isso estava acontecendo com uma freqüência cada vez menor.

No final dessa era, as pessoas só podiam vê-los com os olhos físicos uma ou duas vezes em toda a vida. A medida que os deuses se afastavam, as pessoas precisaram encontrar maneiras de segui-los. E foi assim que nasceu a ioga. Um dos menores livros do mundo, mas um dos mais poderosos, é chamado os Ioga Sutras de Pantanjali. Foi escrito em sua forma final por volta de a. Pantanjali diz ao leitor para se concentrar na força do elefante e assim atingi-la.

Ele diz que é possível conhecer vidas passadas concentrando-se no passado. Seria puro reflexo de nosso desejo acreditar que você ou eu podemos realizar estas façanhas desse jeito. Existem coisas que só os iniciados mais avançados e mais elevados conseguem fazer.

Era o auge de um inverno excepcionalmente rigoroso quando surgiu a peste. Os boatos eram abundantes na comunidade, acusando a jovem mulher de bruxaria, afirmando que as tempestades e a peste eram obra dela. Viu uma imensa nuvem e dela surgiram dragões, lobos e cobras que tentaram arrancar o filho de seu corpo.

Enquanto sua voz esmaecia, ela viu uma pirâmide de luz descendo do céu. Seus olhos brilhavam com um fogo interior, seu nome era Zoroastro. Existem diferentes escolas de pensamento sobre a época de Zoroastro. Alguns autores do mundo antigo situam-no em cerca de 5. Isso se deve ao fato de haver mais de um Zoroastro. O nascimento do primeiro Zoroastro desencadeou tempestades de ódio.

O rei estava dominado por um círculo de feiticeiros que o convenceram de que o menino devia morrer. Mas a alcateia que o rei esperava que fosse dilacerar a criança viu algo nos olhos dela e fugiu apavorada. Mas as forças do mal sabiam que seu maior inimigo havia descido à Terra.

Estavam apenas ganhando tempo. O cosmo foi invadido por hordas de demônios que escureceram os céus. Demônios atiravam-se entre os homens e os escalões superiores das hierarquias espirituais. Se a era indiana foi uma época em que a fisiologia secreta da humanidade foi impressa na memória humana, é a esta era persa que nos voltamos quando buscamos o conhecimento da demonologia.

As hordas de demônios contra os quais Zaratustra liderou seus seguidores também foram classificadas por ele. Isso forma a base das classificações que as sociedades secretas usam atualmente. Nesse momento decisivo da história, as pessoas começaram a ficar inseguras num nível que hoje chamamos de existencial.

Pode também estar esperando por nós em nossa morte. Quando dormimos, perdemos a consciência animal. Nos ensinamentos das sociedades secretas, a consciência animal — ou o espírito — aparece flutuando fora do corpo durante o sono. Isso tem duas conseqüências importantes. A primeira é que o elemento animal de nosso corpo volta a um estado vegetativo.

A segunda é que, desligado das percepções sensoriais do corpo, o espírito entra num estado alternativo de consciência, que é uma experiência do mundo espiritual sublunar. Nos sonhos, percebemos os mundos espirituais, onde somos abordados por anjos, demônios e pelos espíritos dos mortos. Ou ao menos foi o que o homem experimentou na época dos rishis. Ainda assim, os sonhos podiam conter inspirações de espíritos, fragmentos de vidas passadas e até lembranças de episódios da história.

No sono mais profundo, o Terceiro Olho pode se abrir e ver o interior dos mundos espirituais, mas, quando acordados, esquecemo-nos disso. Uma criatura espiritual gigantesca e reluzente vinha para recebê-lo e lhe pedia que o seguisse. Este grupo cintilante se virou para receber Zoroastro e o convidou a deixar temporariamente o corpo físico para se juntar a eles.

Primeiro disseram-lhe que ele devia passar pelo fogo sem se queimar. Depois verteram chumbo derretido - o metal de Ahriman - em seu peito, mas ele sofreu em silêncio.

Zoroastro depois tirou o chumbo do peito e devolveu-o calmamente a eles. Zoroastro voltou à corte e pregou o que os grandes espíritos lhe revelaram. O rei a que ele se dirigia era novo mas, assim como seu predecessor, era presa de ministros cruéis. No ego ou em meu ser? Depois que essa tcnica de ateno plena e autoobservao seus pensamentos, sentimentos e aes tiverem sido fortalecidas pela disciplina e fora de vontade, ento partimos para o segundo estgio.

Todos os dias antes de dormir devemos aprender e desenvolver uma disciplina de meditao. Antes de inici-la, faa uma retrospectiva do seu dia e veja seus pontos falhos, onde "adormeceu" e perdeu seu foco e ateno. Reavalie as cenas, passe um pente fino do momento em que acordou at o momento que est sentado em meditao noite.

Aps a retrospectiva de seu dia, inicie sua meditao. Entre em silncio e oua seu SER. Sinta seu corpo, inspire e expire tranquilamente e profundamente. Voc quem impe seu ritmo de acordo com sua natureza de ser e sentir o universo ao seu redor e pode desenvolver sua tcnica prpria de meditao no ficando amarrado a nenhuma outra.

Seu ser nico! Aos poucos, conforme voc avana em suas meditaes e alia isso com a ateno plena e a auto-observao no seu dirio viver, vai ento construindo com as ferramentas da alma e do esprito a ponte de travessia para o despertar, o renascer de um novo ser intudo pela alma e levado pelo ntimo.

Compreende o que voc est fazendo? Fortalecendo sua capacidade de memria e ateno. Quando tudo isso comear a acontecer, passamos para o terceiro estgio, que comear a perceber a realidade interna dos sonhos como sendo um sonho. Nossos sonhos comeam a ficar extremamente lcidos e reais, sua realidade interna comea a se tornar forte, sua percepo aumenta, deve manter seu foco e sua ateno internamente.

Ento, focalize e diga, eu no estou em um sonho, eu estou acordado! Quando atingimos esse estgio, que muito raro de se alcanar hoje, damos apenas incio ao nosso despertar. Quando falamos que um estgio muito raro de se alcanar, dizemos isso devido realidade externa do mundo e das pessoas.

Hoje, todos esto voltados para a grande iluso do ter, do consumir, do crescer material e descontrolado que pem em risco e em desequilbrio total o ser espiritual, fazendo-o mergulhar em uma dormncia coletiva. Triste observar a dura realidade construda pelo ego humano.

Observamos com ateno o rumo que o egosmo humano tem traado para si prprio, e de forma consciente nos movimentamos contra a entropia da dormncia coletiva que assalta as almas de nossos filhos e irmos de caminhada, por isso nos sensibilizamos profundamente e lanamos mo de tcnicas e exerccios de meditao e foco para o despertar de todos aqueles que anelam verdadeiramente um religare com as vertentes ascendentes do esprito e da luz crstica.

Ento quando comear a se lembrar que seus sonhos so sonhos e que voc esta dentro deles aplique toda a ateno que coloca no mundo exterior para os mundos internos, no inicio no ver nada e a sonolncia e a inconscincia ir te tirar do seu foco.

No desista, mantenha ateno e foco. Quando voc estiver relativamente firme e atento o suficiente para se recordar dos mundos internos, ento poder focar para onde deseja ir ou onde queira estar. Neste estgio seus sonhos no sero mais sonhos, voc poder deix-los com toda segurana e projetar seu ser e conscincia para onde desejar, porm isso requer muita disciplina e prtica.

Todo praticante sincero e srio nessas prticas, e se as fizerem todos os dias por um perodo de sete anos, ter atingido um grau muito avanado do despertar podendo participar de forma desperta das muitas atividades e ensinamentos nos planos superiores.

Para iniciar, o que ajuda bastante , antes de dormir e depois que fizermos nossa retrospectiva e meditao diria, focar com nossos Adormea pensando no local ou na pessoa, mestre ou anjo com quem deseja se comunicar. Outra dica importantssima: ao acordar fique quietinho, no se mexa. Esse o momento em que o corpo astral est se fixando novamente em seu corpo fsico com todas as memrias e experincias da noite.

Se voc costuma levantar s sete da manh, ento ao iniciar essa disciplina acorde mais cedo, s seis, e fique quietinho nos primeiros dez minutos ao abrir seus olhos. Depois disso, as memrias vo chegando. Organize-as em sua mente. Aconselhamos que tenha um caderno e anote tambm, pois s vezes recebemos informaes codificadas que s depois de lermos o que escrevemos com mais calma podemos captar e receber o ensinamento transmitido.

Na maioria das vezes neste incio sonharemos com coisas do dia a dia, conflitos, nossos processos internos ligados impacincia, ira, luxria, gula, cobia, desejos, vaidade, medos.

Que possamos estar atentos e Todos ns temos nossos mestres e anjos internos que nos auxiliam nesses processos mentais e sentimentais atrelados s baixas vibraes dos egos humanos e todos ns tambm temos nossa contraparte feminina na forma de nossa Me Divina. Nem sempre ser possvel trazer experincias que foram vividas alm dos mundos mentais ou causais dos arqutipos , porm voc as sentir com uma sutil intuio.

Esse o mundo da conscincia pura, sem formas, somente conscincia e luz onde a mente humana no alcana, no toca, pois sua natureza extremamente densa para penetrar nesse universo dos sem forma. Quando vivenciamos esta experincia nos planos de pura luz como se recebssemos um presente da divindade. A percepo da vacuidade que se plasma em ns maravilhosa preciso estar muito vazio para alcanar esse estagio, preciso estar "morto" em si sem ego, a interferncia do ego deve ser zero absoluto e somente na ausncia total do ego humano e dos desejos mundanos e celestiais poderemos tocar essa realidade maravilhosa.

Como iluminadamente dizia Jacob Boheme, A morte mstica o caminho para a vida eterna, somente morrendo em ns mesmos que seremos eternos. Essa a mxima de todos os grandes iluminados. Buda a alcanou, Krishna tambm, Jesus igualmente tocou essa verdade suprema, sumo que alimenta tudo abaixo no mundo das formas, pensamentos, sentimentos e manifestaes.

Percebe, querida alma que busca e anela o despertar, que nosso destino retornarmos para essa natureza sutil e luminosa, sem forma, mas que em tudo est, sem ser percebida ou notada em lugar algum. Outro fator importantssimo para nosso despertar nossa conduta tica e moral. Os mundos internos ou astrais inferiores so muito modelveis. Existe uma grande turba onde vagueia uma infinidade de seres sem muita luz obstrudos por processos limitadores e de ignorncia profunda aliados a conceitos prestabelecidos e limitados que os fazem vibrar nessas regies cadas.

Nessas dimenses inferiores tambm vivem muitos casces astrais e personalidades em degenerao e decomposio. Alguns seres extraterrestres tambm vivem nessas dimenses e vibraes cadas, por isso precisamos desenvolver a tica, a conduta e a moral e principalmente o amor, a devoo, a orao, a meditao e a entrega de alma e Podemos e devemos sempre pedir a proteo e a orientao de nossa Me Divina que uma parte desprendida de nosso real e verdadeiro ser. Percebe o conjunto de aes que o fazem despertar?

Nada vem sem trabalho e disciplina. Esse nosso mundo externo um exemplo claro e vivo disso. Internamente no seria diferente. O exerccio que aqui propomos desenvolver um trabalho de forja ativa. O raio da fora nos ensinou isso.

A duras penas conseguimos desenvolver uma pequena disciplina nesse sentido e, como comprovamos a eficincia destes exerccios e tcnicas, ns as compartilhamos com todos na inteno e no auxlio para expandir e despertar a conscincia das pessoas. Quanto mais nos empenharmos, mais ajuda receberemos dos mestres e anjos. Se nada fizermos, nada receberemos. Isso um fato constatado e vivido de forma integral e real. Outro requisito fundamental para se atingir vibraes superiores onde vivem as conscincias dos mestres e anjos desenvolvermos em ns a castidade, no incio parcial e no fim total!

E o que essa castidade? A castidade no olhar, a castidade no pensar, a castidade no falar e a castidade no agir. Se formos solteiros, disciplinamos esses sentidos e transmutamos nossas energias sexuais com pranayanas. Se somos casados, praticamos a disciplina desses sentidos e fazemos amor com sentimento elevado e puro, sem luxria e desejos.

Isso acelera mais o processo de despertar. Trabalhar a mente, os sentimentos e o sexo com pureza e venerao abre e desabrocha em ns todos os poderes divinos, porm no O desejo est aliado cobia e todos aqueles que estudam a natureza dos desejos humanos compreendem por observao profunda e atenta que ele o cerne e a raiz para o nascimento de todo egosmo humano. Devemos trabalhar nosso ser e alma por amor puro e verdadeiro sem desejos de espcie alguma. Percebe, minha querida alma, que desenvolver a disciplina de se recordar dos nossos sonhos no o objetivo final?

Mas somente o incio do caminhar no despertar de nossas conscincias? Aquele que despertar neste mundo despertar em todos os outros, pois este o mundo mais denso, onde todas as foras internas e externas a ns, juntamente com a da natureza, manifestam-se fazendo uma presso e fora contrrias ao nosso despertar. Todo aquele que desperta neste plano fsico e tridimensional alcana um grau de agudeza e profundidade muito raro no universo.

Seres que no tiveram corpos fsicos em planos de terceira dimenso no podem compreender a agudeza da percepo de se viver em um corpo fsico humano e tridimensional desperto. Existem graus e graus de despertar. Jesus em sua peregrinao pblica veio nos ensinar o caminho da liberao, do despertar e do religare aos universos ascendentes atravs das mximas do amor, da renncia e do sacrifcio.

Neste exato momento, mesmo sendo muito raros e poucos, esto nascendo no anonimato pequenos mestres, budas, anjos, arcanjos, tronos, querubins, serafins e, mesmo que mais raros, alguns elohins, seres estes andrginos, responsveis pela construo de universos inteiros.

No entanto, o externo no os percebe, no tem olhos para ver, nem ouvidos para ouvir o murmrio das muitas guas acima nos universos e dimenses superiores. Eles reaparecero junto com o nascimento de uma nova aurora e de uma nova era. Que venha a nova era de Aqurio e dissipe as trevas da ignorncia e da manipulao de nossas mentes, sentimentos e aes. Ficou conhecido pela descoberta da sequncia de Fibonacci e pelo seu papel na introduo dos algarismos arbicos na Europa. Com outros matemticos do seu tempo, contribuiu para o renascimento das cincias exatas, aps a decadncia do ltimo perodo da antiguidade clssica e do incio da Idade Mdia, mas Fibonacci destacou-se ao escrever o Liber Abaci, em atualizado em , a primeira obra importante sobre matemtica desde Eratstenes, isto , mais de mil anos antes.

O Liber Abaci introduziu os numerais hindu-arbicos na Europa, alm de discutir muitos problemas matemticos. Fibonacci tambm conhecido pela sequncia nomeada aps sua morte como sequncia de Fibonacci Medida urea, Divina Proporo ou Nmero de Ouro.

Ele no a descobriu! Essa sequncia numrica j era conhecida por matemticos indianos no sculo VI, mas foi o Liber Abaci que a introduziu no Ocidente Europa. Com seu pai, Guglielmo dei Bonacci Fibonacci seria a forma reduzida de filius Bonacci, "filho de Bonacci" , abastado mercador pisano e representante dos comerciantes da Repblica de Pisa publicus scriba pro pisanis mercatoribus em Bugia, na regio de Cablia, Arglia,.

Leonardo passou alguns anos naquela cidade. Na poca, Pisa mantinha uma importante atividade comercial nos portos do Mediterrneo, e Guglielmo atuava como uma espcie de fiscal alfandegrio em Bugia, importante porto exportador de velas de cera, situado a leste de Argel, no Califado Almada. Ali, ainda muito jovem, Fibonacci teve contato com o mundo do comrcio e aprendeu tcnicas matemticas desconhecidas no Ocidente, difundidas pelos estudiosos muulmanos nas vrias regies do mundo islmico.

Alguns desses procedimentos haviam sido criados por matemticos da ndia, uma cultura muito distante da mediterrnea. Ao reconhecer que a aritmtica, com algarismos arbicos, era mais simples e eficiente do que com os algarismos romanos, Fibonacci viajou por todo o mundo mediterrneo, chegando at Constantinopla, para estudar com os matemticos rabes mais importantes de ento, alternando os estudos com a atividade comercial.

Muito do seu aprendizado deve ser creditado s obras de Muhammad ibn Musa al-. Khwarizmi, de Abu Kamil e de outros mestres rabes. Mas Fibonacci no foi um mero difusor dessas obras. De volta Itlia, em torno de , sua fama chega corte do imperador Frederico II, sobretudo depois de ter resolvido alguns problemas do matemtico da corte.

Por essa razo, foi-lhe atribudo um rendimento vitalcio, o que lhe permitiu dedicar-se completamente aos estudos. Em , aos 32 anos, publicou o Liber Abaci Livro do baco ou Livro de Clculo , introduzindo os numerais hindu-arbicos na Europa.

Depois de , no se tem mais notcias do matemtico, exceto por um decreto de da Repblica de Pisa, que atribua um estipndio ao "Discretus et sapiens magister Leonardo Bigollo" "srio e sbio mestre Leonardo Bigollo" , em reconhecimento dos servios prestados cidade, particularmente em matria contbil e na instruo dos cidados. Fibonacci morreu alguns anos mais tarde, provavelmente em Pisa. No sculo XIX, uma esttua foi erguida em Pisa, em sua homenagem.

Hoje est localizada na galeria ocidental do Camposanto, cemitrio histrico da Piazza dei Miracoli. Seus estudos foram to importantes que at hoje existe uma publicao peridica, Fibonacci Quarterly, inteiramente dedicada sequncia aritmtica elaborada por ele.

H tambm um asteride que tem o seu nome, o Fibonacci. Liber Abaci , um livro sobre clculos traduo para ingls por Laurence Sigler, Springer, Practica Geometriae , um compndio com aplicao da lgebra soluo de problemas de geometria e trigonometria.

Epistola ad magistrum Theodorum. Flos super solutionibus quorundam questionum ad numerosum vel ad geometriam vel ad utrumque pertinentium , obra dedicada ao cardeal diacono Raniero Capacci, com solues para os problemas postos por Joo de Parma. Liber quadratorum , sobre equaes diofantinas, dedicado ao imperador Frederico II. Di minor guisa, sobre aritmtica comercial perdido. Liber Abaci No Liber Abaci , Fibonacci apresenta o chamado modus Indorum mtodo dos hindus , hoje conhecido como algarismos arbicos Sigler ; Grimm O livro defendia a numerao com os dgitos e a notao posicional, esclarecendo o sistema de posio rabe dos nmeros, incluindo o nmero zero.

O livro mostrou a importncia da O livro foi bem recebido em toda Europa educada e teve um impacto profundo no pensamento europeu.

Esse elegante sistema de sinais numricos, em breve, substituiria o no mais oportuno sistema de algarismos romanos. A segunda edio de Liber Abaci, de , a que hoje conhecida. Esse livro contm uma grande quantidade de assuntos relacionados com a Aritmtica e a lgebra da poca, e realizou um papel importante no desenvolvimento matemtico na Europa nos sculos seguintes, pois, por esse livro, os europeus vieram a conhecer os algarismos hindus, tambm denominados arbicos.

A teoria contida no Liber Abaci ilustrada com muitos problemas que representam uma grande parte do livro. Liber Abaci tambm colocou e resolveu um problema que envolve o crescimento de uma populao hipottica de coelhos com base em A soluo, de gerao em gerao, foi uma sequncia de nmeros mais tarde conhecida como nmero de Fibonacci.

A sequncia numrica era conhecida por matemticos indianos j no sculo VI, mas foi o Liber Abaci que a introduziu no Ocidente. Definindo os dois primeiros nmeros da sequncia como 0 e 1, os nmeros seguintes sero obtidos por meio da soma dos seus dois antecessores.

Portanto, os nmeros so: 0,1,1,2,3,5,8,13,21,34,55,89,,,,,,,, Dessa sequncia, ao se dividir qualquer nmero pelo anterior, extrai-se a razo que uma constante transcendental conhecida como nmero de ouro 1, Uma das aplicaes da sequncia de Fibonacci a identidade de Cassini.

Esta famosa sequncia encontrada como um padro em toda a natureza. Por onde quer que passemos se estivermos atentos poderemos observar escondida a sequncia que impulsiona toda a vida existente neste universo onde vivemos; de tomos, molculas e plantas a animais, humanos e fenmenos naturais que envolvem o ar, as guas at a formao das galxias e do universo!

Para entendermos mais essa fora criadora, selecionamos abaixo algumas imagens para ilustrar a manifestao dessa sequncia na natureza. Organizando as sementes do Girassol! As plantas respondem de forma muito sensvel proporo urea, tambm conhecida como o nmero de ouro ou a divina proporo! Toda a criao est em perfeita sintonia com essa lei suprema de evoluo e crescimento! Todos os animais, dos mais simples e microscpicos at os maiores e mais complexos, incluindo ns seres humanos somos frutos dessa constante harmnica.

O nmero de ouro! Tudo que vive e pulsa dentro deste universo respira, vibra, geometriza, constri sobre a divina proporo, o nmero ureo ou a sequncia de Fibonacci! Eu e voc tambm! Somos unidade! Individualidade versificada! Mas no separada! Somos a uni-versificao manifestada em fractais menores, todos autoconscientes se desenvolvendo e se manifestando na grande existncia da vida!

Nada est separado de nada. Nunca esteve! Porque ela a construtora e mantenedora de toda a vida existente neste universo! Percebe a importncia dessa sequncia? Foi por isso que fomos intuidos a us-la aplicada s frequncias sonoras com a finalidade de nos reconectar com a fonte suprema e toda a natureza que est em sintonia perfeita com essa lei divina!

J vimos muitas obras de arte do passado e do presente sendo criadas com essa sequncia matemtica perfeita e divina. Muitos mestres tambm a utilizaram na pintura, arquitetura e construo: Leonardo Da Vinci, Rafaelo, Michelangelo e tantos outros. Nosso objetivo elevar e reconectar as conscincias humanas que se esqueceram de si mesmas e de sua natureza divina com a fonte. Muitos tm criado frequncias sonoras com o objetivo de alcanar este religare, porm quando pesquisvamos e estudvamos sobre a divina proporo, o nmero de ouro ou a medida urea, no encontramos ningum utilizando a sequncia de Fibonacci de forma sonora para estimular nossas glndulas pineal e pituitria reabrindo assim a porta de conexo para acessar, trabalhar e purificar nosso subconsciente que nos d acesso ao nosso interior e consequentemente s dimenses superiores de amor e luz.

Fibonacci a sequncia chave de toda vida existente e da harmonia que sustenta todo este universo. Tudo na natureza nasce e se manifesta atravs desse principio matemtico: plantas, animais, ns seres humanos, os ventos, as ondas do mar. Tudo est se formando e se organizando atravs dessa ordem natural de desenvolvimento. Nada est separado de nada!

Todos ns estamos ligados, interconectados por um nico princpio, uma nica fora que nos faz existir e se manifestar. Muitos a chamam de AMOR! Se observarmos uma pinha ou um girassol veremos neles a manifestao dessa lei divina e matemtica. Por que ser que nossa glndula pineal representada por muitos estudiosos, msticos e religiosos como sendo uma pinha? Na entrada da antiga baslica de San Piero em Roma existe uma enorme pinha!

DOWNLOAD LEO TEBAS GRÁTIS FILME DE O

Ser que eles j sabiam sobre a glndula pineal? E por que uma pinha? Qual deve ser o significado dela para a igreja? Eles sabiam exatamente a importncia dela e o segredo que ela continha, mas acreditamos que muitos dentro do prprio Vaticano hoje j se esqueceram da importncia desse smbolo. A pinha a representao perfeita da sequncia de Fibonacci e da construo em espiral de todo nosso universo que se movimenta atravs dessa sequncia divina.

Nossa conscincia tambm se reconecta atravs dessa sequncia matemtica! Aqui chegamos finalmente aonde cincia e a espiritualidade se unem! A cincia se torna espiritual e a espiritualidade, cientfica! Foi por esse motivo que utilizamos a sequncia de Fibonacci aplicada s frequncias sonoras para despertar nossa conscincia juntamente com a Cimtica e a Epigentica, dois ramos de estudo que tm crescido de forma muito rpida, comprovando que somos o que comemos, sentimos e pensamos.

Quando estimulamos nossa glndula pineal atravs de batimentos binaurais unidos com a sequncia de Fibonacci, enviamos um sinal ao nosso crebro que imediatamente os reconhece e comea a entrar em sintonia com a espiral ascendente, abrindo assim nossa conexo ou nos reconectando com as dimenses superiores e com nossa E o que significa estimular nossa glndula pineal? Quando despertamos para a verdadeira realidade no ficamos mais refns das iluses e das manipulaes de toda espcie, sejam elas religiosas, cientficas ou qualquer outra forma que nos aprisione em um mundo limitado de dores, medos, sofrimentos e ignorncia.

Esses sentimentos no esto em harmonia com a sequncia de Fibonacci, a divina proporo. Se entrarmos em sintonia com essa lei de harmonia universal que a divina proporo, o nmero ureo, comeamos ento a vibrar amor, paz, felicidade, bem-estar porque essa a natureza dessas vibraes. Quando percebemos tudo isso de forma consciente, aprendemos a Por que ser que quando estamos em contato ntimo e direto com a natureza nos sentimos felizes, alegres e radiantes?

S em escrevermos e imaginarmos agora, aqui, nossas almas sorriem e sentimos muita alegria e felicidade. Porque a natureza est totalmente conectada e integrada a essa harmonia universal que a sequncia matemtica e divina de Fibonacci!

Seria maravilhoso continuar falando de todos os benefcios que a sequncia de Fibonacci pode nos proporcionar, mas entraremos a seguir em um assunto de extrema delicadeza e importncia e que todos precisam saber!

O flor e a pineal nosso dever aqui informar com conscincia! Gostaramos de no adentrar nesse tpico, mas se assim o fizssemos estaramos contribuindo por omisso com a verdadeira realidade de nossa atual condio!

Existe uma norma e lei mundial que diz aos governos e rgos de sade que saudvel e faz bem a toda a populao adicionar flor em nossa gua potvel, flor em nossas pastas de dente. Grandes multinacionais esto comprando as reservas de guas naturais ao redor do mundo, desmineralizando essas guas de nascentes puras e remineralizando-as com flor fluoreto de sdio.

Afirmam que para a sade da populao! Esto destruindo a ordem natural da vida, por dinheiro e pela ganncia! S para termos ideia de sua toxidade, o flor usado como veneno de rato e pesticida para lavouras, ou seja, at nossas verduras j esto O Brasil o pas onde mais se usa agrotxicos em plantaes no mundo! Isso gravssimo e ningum, muito menos nosso governo, se mobiliza para proibir seu uso!

As indstrias de alumnio obtm o flor como um produto residual, e sabe para onde vai esse flor residual? Ele usado na indstria alimentcia, no abastecimento de gua de rua, nas guas engarrafadas, sucos de caixinha e outras bebidas. A toxicidade dos compostos de flor fluoretos de sdio de resduos industriais 85 vezes maior do que a toxicidade do fluoreto de clcio encontrado na natureza. Poucos sabem os efeitos do flor principalmente sobre nossos crebros.

Zumbis so mais fceis para se manipular. Mas, mas as pessoas no percebem nada disso! Esto adormecidas! Deve ser por isso que os cinemas esto repletos de filmes sobre o tema. Quando nossa glndula pineal se atrofia e se calcifica por conta do flor, ficamos trancafiados na terceira e densa dimenso.

No conseguimos mais acessar as dimenses superiores que esto ressoando em frequncias mais altas e nem mais desenvolver a supra. Ficamos ressoando em uma oitava inferior de frequncia. A glndula pineal trabalha em altssimas frequncias. Ela a principal responsvel na reativao de nosso cdigo gentico adormecido.

A glndula pineal a portadora e ponte entre as mltiplas dimenses da existncia. Estamos trancados pela nossa prpria inconscincia neste plano existencial!

Ser que o flor na gua intencional para que no despertemos nossa conscincia? Pensamos que somos livres, mas em verdade estamos aprisionados na terceira dimenso e em um mundo de egos, desejos e valores ilusrios e superficiais.

Ser rico neste mundo acumular bens, patrimnios, dinheiro! Somos constantemente bombardeados com milhares de informaes a todo momento sobre o que comer, como se vestir, o que falar e pensar. As televises, as rdios, a internet, as revistas, os jornais e at os outdoors nos falam como devemos ser e Ouvimos em demasia o que os outros nos falam e esquecemos totalmente de ouvir a voz interior de nossos coraes.

O excesso de informao mais nos desinforma do que nos informa. Isso acontece porque perdemos nosso senso intuitivo e robustecemos em demasia nossos egos e nosso miservel intelecto! Obviamente, muitos detentores dos conhecimentos transcendentais que habitam em dimenses paralelas manipulam nossa frgil humanidade e assim a aprisionam nesta terceira dimenso do ver, ouvir, tocar, falar e agir somente no mudo exterior nos deixando rasos e superficiais.

Poucos so os que tm olhos para ver e ouvidos para Poucos percebem as mltiplas dimenses existentes no universo manifestado e rarssimos so os que as acessam! Mas esse tempo est chegando ao fim e, aos poucos, a humanidade ir descobrindo nossa verdadeira existncia multidimensional. A pinha, a glndula pineal e a sequncia de Fibonacci Voltemos, amados irmos, a falar sobre a pinha, a glndula pineal e a sequncia de Fibonacci.

As trs esto conectadas de forma ntima e profunda com toda a manifestao e existncia. Se observarmos a formao da pinha, veremos ali impressa a sequncia de Fibonacci, a mesma sequncia que estamos usando neste trabalho em uma primeira oitava de 12 tons binaurais com o objetivo de estimular nossa glndula pineal rumo a espiral de reconexo divina.

Como ento fazer soar essas frequncias baixssimas a ponto de serem captadas pelos nossos ouvidos que somente podem registrar Usando as tcnicas do batimento binaural! Mais adiante compartilharemos mais informaes sobre batimentos binaurais, Cimtica e Epigentica. Utilizamos ento a frequncia de Hz como base e alicerce. O Ouvido humano no pode registrar frequncias abaixo de 20Hz, ento usamos essa tcnica comprovada cientificamente para criarmos essas baixssimas frequncias.

E como isso funciona? Simples, muito simples. Aplicando em um ouvido uma frequncia e no outro ouvido, outra frequncia. Nosso crebro ir perceber a diferena entre cada ouvido e no centro de nossa cabea, onde est localizada nossa glndula pineal, criar uma nova frequncia subtraindo as frequncias individuais de cada ouvido. Isso o que os estudiosos e cientistas chamam de ondas binaurais ou de arrasto! Exemplificando: Temos em cada CD desta coletnea a seguinte configurao para ondas de arrasto.

Ela responsvel por controlar nossos biorritmos, como sono, estado acordado e nosso processo de envelhecimento. Quando ela est ativa em uma oitava de frequncia superior, transporta-nos para uma realidade muito mais elevada e espiritual ativando nossas capacidades psquicas.

Est localizada no meio da testa entre as sobrancelhas. Suas funes fsicas s foram descobertas pela cincia recentemente, porm suas aes espirituais j so conhecidas h bastante tempo pelos msticos, estudiosos da espiritualidade e da sabedoria tradicional.

Ela representada pelo chacra coronrio. Todos ns vivemos em um mundo tridimensional e nos relacionamos com o tempo como sendo a quarta dimenso. A pineal a nica estrutura do corpo que transpe essa dimenso. Ela capaz de captar informaes que esto alm dessa nossa dimenso.

Descartes dizia que ela era o ponto que ligava nossa alma ao nosso corpo fsico. Sem sombra de dvidas ela a glndula que nos liga a outras dimenses e Nos animais, essa glndula ajuda nos processos de migrao porque ela se sintoniza com o campo magntico da terra. Os fotorreceptores da pineal so os mesmos presentes na retina dos olhos. A origem biolgica da glndula pineal a mesma dos olhos. Curioso a chamarmos de terceiro olho no? Nos dias de hoje todas essas potencialidades esto adormecidas!

Isso devido a nossa prpria qualidade de vida. Vivemos de forma no muito saudvel, alimentamo-nos mal, o ar que respiramos no puro e estamos expostos a uma grande quantidade de produtos qumicos de limpeza e higiene pessoal. Tudo isso contribui para nossa degenerao e doena de nosso corpo fsico e, consequentemente, de nossa glndula pineal.

Os benefcios dessa desintoxicao so muitos, comeando pela clareza de pensamentos, concentrao, alegria, inspirao, paz, intuio, deciso, concentrao, aumento significativo da inteligncia, sonhos lcidos, projees astrais com facilidade, relaxamento profundo ao dormir nos revitalizando completamente e imaginao mais ativa. Essa desintoxicao at nos permite ver a aura das pessoas, sentir a energia de seres, espritos, entrar em profundo contato com a natureza e seus elementais, sentir essa maravilhosa energia que conecta tudo e todos neste universo.

Em um artigo publicado na revista cientfica Nature pelos cientistas Vollrath e Semm, foi comprovado que a glndula pineal pode converter ondas eletromagnticas em estmulos neuroqumicos. A vida espiritual se manifesta atravs do campo eletromagntico. Quando A pineal uma receptora desses estmulos eletromagnticos. Ela a internet viva dentro de ns que se conecta com nosso cdigo gentico e todo universo com suas mltiplas dimenses transformando-os em estmulos neuroqumicos.

Michael Persinger, da Laurentian University, no Canad, desenvolveu um capacete chamado Capacete de Deus que emite ondas eletromagnticas nos lobos temporais.

As pessoas que participaram da pesquisa e experincia do Dr. Persinger tiveram vises e sentiram a presena de seres espirituais. Essas percepes e fenmenos, segundo ele, esto ligados influncia dessas ondas eletromagnticas. E o que diz a Fsica Quntica? Para a Fsica Quntica tudo vibrao, ns vibramos em diferentes frequncias e podemos ser influenciados por todo tipo de frequncia, seja ela natural ou no. A todo o. Vibrao e som. Isso Cimtica. Som e luz, frequncia e eletromagnetismo.

Quanto mais se intensifica o som, mais nossa glndula pineal trabalha e, quanto mais ela trabalha, mais atentos e despertos nos tornamos. Quando ouvimos em silncio zunidos, apitos extremamente agudos em nossos ouvidos, isso sinal de que nossa glndula pineal est trabalhando, est se desenvolvendo.

Ela a nossa conexo com outras dimenses. As caractersticas negativas de nossa pineal e chacra coronrio quando esto obstrudos ou intoxicados so: mente confusa, incerteza, cinismo, pessimismo, inveja, tristeza. Isso se d devido calcificao da glndula pineal. Aos 17 anos de idade, a maioria das pessoas em nossa atual sociedade j esta com ela bem calcificada a ponto de ser claramente perceptvel A calcificao se d a partir do crescimento de cristais de fosfato de clcio em vrias partes do corpo, e a glndula pineal uma das partes onde eles mais se agregam.

A calcificao um efeito secundrio do uso de compostos qumicos base de fluorite que podemos encontrar na gua publica e engarrafada, nas pastas de dentes, em hormnios e aditivos usados em comida processada, industrializada e nos acares e adoantes artificiais que tambm se encontram nos refrigerantes, iogurtes, bolos e afins.

As radiaes dos celulares tambm esto sendo apontadas como prejudiciais glndula pineal. Seguem algumas dicas para desintoxicao de nossa glndula pineal. Evitar tudo que tiver flor! Bem sabemos que muito difcil iniciar uma mudana alimentar de forma radical, com frutos e vegetais orgnicos, mas isso no tem que ser uma mudana abrupta.

Gradualmente podemos mudar o nosso estilo de vida, melhorando e aprendendo a ter melhores hbitos. Um desses bons hbitos olhar sempre para os rtulos dos produtos e ver os seus ingredientes. Alimentao saudvel Ter uma alimentao saudvel, de preferncia vegetariana, orgnica e evitar alimentos que acidificam o sangue ajuda muito a manter o. Quanto mais alcalino for o PH de nosso sangue mais saudveis nos tornaremos.

Desintoxicadores e estimulantes da glndula pineal: Hydrilla certicillata, chlorella, spirulina, algas azuis e verdes, zeolite, gingseng, brax, D3, argila bentonita, clorofila. Alimentos benficos: Cacau cru, goji berry, canela, melancia, banana, mel, leo de coco, semente de cnhamo, sumo de noni Morinda citrifolia. Podemos inalar o seu aroma diretamente num difusor ou adicionado gua de um banho. Acido ctrico Ingerir regularmente o sumo do limo ajuda a desintoxicar o organismo e a glndula pineal.

Uma sugesto pela manh e ainda em jejum: preparar um copo de gua com um pouco de sumo de limo, gua e mel. Alho O alho um forte medicamento natural e a desintoxicao da glndula pineal s mais uma das possveis atuaes dele. Uma sugesto pegar num dente de alho, esmag-lo e submergi-lo no vinagre de cidra ou sumo de limo para retirar o cheiro e o sabor do alho depois com-lo.

Podemos guardar o sumo ou o vinagre para saladas ou tomar junto com o alho. Vinagre de cidra Tomar todos os dias uma colher de sobremesa desse vinagre num copo de gua. Se preferir, pode adoar com um pouco de mel.

Contemplar o sol Olhar diretamente para o sol ao nascer e pr-do-sol por 15 minutos. Uso de cristais Com a gemoterapia podemos trabalhar aspectos associados ao chacra coronrio e melhorar a sade da glndula pineal. Pedras com tons de azul ndigo, violeta, roxas ou cristalinas podem ser usadas no chacra do terceiro olho e no coronrio para estimular essa glndula. Deve-se colocar a pedra escolhida sobre o chacra do terceiro olho por um perodo de 15 a 30 minutos diariamente.

Cristais indicados: Quartzo cristal, pedra da lua, safira azul, turmalina violeta, rodonite. A seguir selecionamos trs importantes matrias sobre batimentos binaurais e ondas de arrasto. Tivemos o cuidado de citar suas fontes bem como dar os crditos aos seus autores.

Essas matrias ajudam a enriquecer e nos aprofundar ainda mais no tema. Antes de iniciarmos, faremos uma introduo e falaremos sobre a constituio do aparelho auditivo e do aparelho visual. Batimentos binaurais podem ser estimulados tanto por ondas sonoras como por ondas luminosas. Nosso trabalho, MMSorge Frequncias Fibobacci, atuar somente sobre as frequncias de som e seus estmulos sonoros.

O som uma criao do crebro, pois somente existe se h algum para ouvi-lo. Porm, o som definido de forma bsica segundo a fsica como vibraes mecnicas que se propagam atravs do ar comprimindo-o por certo perodo de tempo Bear et al, O som pode ser dividido em trs qualidades: frequncia, amplitude e complexidade. A frequncia do som medida em Hertz, unidade que representa o nmero de oscilaes por segundo, ou seja, quantas vezes a onda consegue chegar de um pico a outro durante 1 segundo. Quanto menor a frequncia, mais grave o som e quanto maior a frequncia mais agudo o som Bear et al, A amplitude do som pode ser traduzida como a intensidade ou fora do som, conhecida popularmente como a altura do som.

Um exemplo ao ligarmos um rdio. Se ele estiver no volume 5, voc estar ouvindo todas as frequncias da msica da mesma forma que se estivesse ouvindo com volume 10, mas no segundo com muito mais fora. A fora do som est relacionada com a quantidade de molculas de ar que so comprimidas em cada onda. A amplitude do som medida em decibis dB , que na realidade a potncia do som em watts em relao intensidade de referncia padronizada.

Para o sistema auditivo humano sons superiores a 70 dB geralmente so percebidos como alto e 20 dB como baixo Bear et al, A terceira e ltima caracterstica a complexidade do som. Os sons com frequncia nica so considerados tons puros e os com vrias frequncias so denominados tons complexos.

Os tons Dentre as frequncias decompostas existe a frequncia fundamental, que a taxa de repetio do padro bsico da forma de onda complexa Bear et al, O ouvido humano tem apenas a sensibilidade de perceber sons entre 20 Hz e O sistema auditivo Podemos seccionar o ouvido em trs partes: externo, mdio e interno.

O ouvido externo composto pela aurcula, que na realidade conhecida popularmente como orelha, e o canal auditivo externo, que o canal que vai at o interior da cabea. A orelha tem como objetivo captar as vibraes e encaminhar pelo canal auditivo externo.

No ouvido mdio, o tmpano fica entre o ouvido externo e o ouvido mdio. Aps o tmpano, existe uma cmara cheia de ar com trs pequenos ossos chamados ossculos que so conectados entre si.

Esses ossos, pela sua simetria, so chamados de martelo, bigorna e estribo, sendo responsveis por unir o tmpano janela oval, uma abertura no revestimento sseo da cclea, que a estrutura do ouvido interno que contm os receptores auditivos.

Quando o som faz o tmpano vibrar, os ossculos vibram e transmitem essas vibraes amplificadas para uma segunda membrana que reveste a janela oval da cclea. A cclea semelhante a uma concha de caracol oca. Seus compartimentos so preenchidos por um lquido onde h uma membrana delgada chamada membrana basiliar. Na estrutura desta membrana esto as clulas pilosas, que so os receptores auditivos. Suas extremidades tm pequenos filamentos, Quando esses clios se movimentam, as ondas sonoras so transformadas em atividade neural.

A presso do estribo na janela oval inicia o processo, que causa o movimento do lquido coclear. Durante todo o processo, o lquido coclear movimenta as membranas basiliar e tectorial, que induzem a movimentao dos clios, gerando as aes nas clulas pilosas. Essas clulas possuem espessura diferente de acordo com sua regio dentro da cclea. Por estas diferenas, elas so capazes de perceber as diversas frequncias que podemos escutar Kolb et al, Na figura 2.

A deteco do som O sistema auditivo tem como objetivo converter as alteraes na presso do ar, associadas s ondas sonoras, em atividade neural transmitida para o crebro Bear et al, Os neurnios da cclea formam um mapa dos tons que codificam as frequncias em um som, como pode ser visto na figura 2.

Esses mapas esto em todo o sistema auditivo. As mesmas clulas cocleares podem codificar a frequncia e amplitude variando em tenso. A deteco da localizao de um som uma funo dos neurnios na oliva superior e corpo trapezide do tronco enceflico. Esses neurnios realizam essa funo computando as diferenas na altura e no tempo de chegada de um som aos dois ouvidos. A compreenso do significado realizada pela comparao de padres que feita pelos neurnios corticais Kolb e Whishaw, Sua conexo com o crebro e a maneira com a qual ele influencia a vida das pessoas, seja pelas cores, formas ou luzes, so significativas.

Ela uma forma de energia que necessita ser produzida, seja por um astro, uma lmpada ou por compostos qumicos Bear et al, Segundo a fsica, a luz ao mesmo tempo matria e onda, definio complicada que at hoje gera controvrsias. Isaac Newton foi o primeiro a propor que a luz era composta de pequenas partculas, os Isso gerou controvrsias at o sculo 19, quando, com o auxlio das teorias de Max Planck e Albert Einstein, descreveu-se novamente a luz como partculas, aps o famoso experimento das placas de metal, na qual foram jogados ftons de luz e observado que esses refletiam na placa.

Foi com esta pesquisa que Einstein ganhou seu prmio Nobel. De acordo com sua teoria, a luz reage ora como onda, ora como partcula. Essa concluso foi possvel aps perceber que a luz sofria interferncia de outro feixe de luz, ou seja, apenas ondas podem sofrer interferncia e reflexo Kolb et al, O olho humano O olho humano formado por diversas partes, como pode-se ver na figura 3.

Primeiramente, a parte branca e externa, chamada de esclera; o revestimento externo e claro chamado de crnea; a ris, que a parte colorida do olho, responsvel por controlar a entrada de luz no olho; o cristalino, que focaliza a luz; a retina que onde a energia luminosa transformada em atividade neural Bear et al, O processo da formao da viso comea quando a luz penetra no olho.

Ela atravessa o orifcio da ris, chamado pupila, sendo ento desviada pela crnea e pelo cristalino. O cristalino se ajusta para desviar a luz em grau maior ou menor, de modo que imagens de perto ou de longe possam ser focalizadas na retina. Deficincias visuais como miopia, presbiopia e hipermetropia ocorrem pela m focalizao da luz na retina Kolb et al, Na retina existem milhes de clulas fotoreceptoras que traduzem a luz em potenciais de ao, ou seja, discriminam comprimentos de ondas para podermos ver cores, trabalham em intensidade de luz que variam de muito claras a muito escuras e fornecem uma grande preciso visual Kolb et al, O cristalino inverte as imagens em sua projeo na retina da mesma forma que uma cmera fotogrfica.

Essa projeo invertida no problema para o crebro, pois este corrige qualquer tipo de inverso. Segundo pesquisas, caso usssemos culos que invertessem as imagens durante dias, o crebro iria corrigir a distoro e o mundo no pareceria mais invertido Kolb et al, Processamento da imagem Aps a recepo da luz, feita pelos olhos, a informao correr pelos nervos pticos que saem de cada olho.

Esses nervos so formados por axnios de clulas ganglionares que saem da retina. Aps sarem dos olhos eles se cruzam, adquirindo o formato de uma letra do alfabeto grego chamada qui, por isso chamado de quiasma ptico. Dessa maneira cada retina processada no lado oposto do crebro Bear et al, Nas ltimas dcadas, os pesquisadores do sono e do sonho produziram uma quantidade substancial de conhecimento, devido sobretudo ao desenvolvimento e aplicao de novas tecnologias.

Por exemplo, o eletroencefalgrafo, ou EEG, capaz de monitorizar mudanas nas frequncias e padres das nossas ondas cerebrais. O nosso crebro produz ondas de correntes que fluem atravs das ligaes neurais. O tipo de onda cerebral definido pela frequncia a que esta pulsa e este tipo particular de pulsao influenciar o nosso estado mental respectivo. Existem quatro tipos bsicos de padres de ondas cerebrais, mas Abaixo apresentamos uma breve descrio de cada um dos quatro principais padres bem como o seu intervalo de frequncia e respectivo estado mental.

Ondas Beta: So as ondas mais rpidas, 13 a 38 Hz. Este o padro que obtemos ao monitorizar o nosso crebro durante o estado de viglia. Ou seja, se neste momento efetussemos um EEG este obteria um aspecto tpico de um padro de ondas Beta. Ondas Alfa: Mais lentas do que as ondas Beta, 7 a 13 Hz.

Esto normalmente associadas a um estado de maior tranquilidade e relaxamento. Podem ser encontradas durante os estados meditativos mais comuns. Ondas Teta: 4 a 7 Hz. Esto associadas a um estado de grande capacidade de reminiscncia, criatividade, visualizao, inspirao e conceptualizao holstica.

Ondas Delta: So as mais lentas dos 4 padres principais, 1 a 4 Hz.

TEBAS FILME GRÁTIS LEO DE O DOWNLOAD

Esto associadas ao sono profundo, sem sonho, e ao transe profundo. Sabendo as caractersticas mentais associadas a cada padro de ondas cerebrais, tal como foram acima referidas, teramos uma enorme vantagem em induzir um determinado padro de ondas de forma a facilitar determinadas atividades mentais.

Felizmente existe uma forma para fazer isto e baseia-se no princpio cientfico da harmonizao. Os sons binaurais que explicarei mais adiante podem ser usados para harmonizar ou sincronizar ambos os hemisfrios cerebrais num s padro sinrgico de ondas cerebrais. O que ento o princpio da harmonizao? Por exemplo, vamos supor que penduramos nas paredes da mesma sala vrios relgios de pndulo e que cada pndulo se move ao seu prprio passo, defasado de todos os outros.

Com a passagem do tempo os pndulos tornar-se-o progressivamente sincronizados, adaptando-se naturalmente o ritmo de cada um at todos os pndulos se moverem em sintonia, em unssono. Esta sincronizao o resultado do princpio da harmonizao, um fenmeno fsico que ocorre de forma sistemtica na natureza sempre que a oportunidade se proporcione.

Este processo importante, pois tambm possui implicaes diretas no nosso crebro que opera de modo semelhante a uma caixa de ressonncia.

Portal de Convênios

As ondas cerebrais pulsam a diferentes amplitudes e frequncias, dependendo do nosso grau de envolvimento em determinadas atividades. Tal como o pndulo do relgio, o nosso crebro pode ficar sincronizado com determinados padres de ondas se for exposto aos estmulos apropriados.

Este tambm um processo usado pelos xams em diversas tribos indgenas, que usam tambores e Juntamente com o papel desempenhado pelas ondas cerebrais no nosso estado de conscincia tambm importante discutir a anatomia bsica do nosso crebro e a forma como as suas partes interagem e funcionam. Os nossos crebros possuem dois hemisfrios, esquerdo e direito. O hemisfrio esquerdo linear, lgico, prtico e orientado no tempo. Por seu turno, o hemisfrio direito parece ser muito mais no linear, abstrato, criativo, holstico e no lgico.

Por exemplo, um contabilista usa provavelmente muito mais o seu hemisfrio esquerdo enquanto que um artista usa mais o direito. Tendemos a favorecer o uso de um determinado hemisfrio consoante a atividade em que estamos concentrados. Assim como existe uma predominncia de certas ondas cerebrais dependendo de determinadas atividades tambm existe a predominncia de um dos hemisfrios consoante o que estamos a fazer.

Os dois hemisfrios esto ligados pelo corpo caloso. Esta estrutura funciona como uma ponte ou condutor entre ambos os lados e pode literalmente ser exercitada e fortalecida mentalmente at se tornar fisicamente maior e mais capaz de transmitir informao entre os dois hemisfrios.

Sincronizando os dois hemisfrios e permitindo que estes trabalhem em conjunto podemos potencializar as nossas capacidades mentais. Basicamente como ter um computador mais rpido, com os componentes melhor e integrados capaz de acessar mais rapidamente informao e processamento de dados. Fazendo isto estaramos literalmente usando o nosso crebro de um modo mais eficiente. E como podemos ento fazer isto? Vrios estudos demonstraram que a meditao pode conduzir a estados em que o padro de ondas cerebrais reflete uma sincronizao entre os hemisfrios cerebrais.

Esta sincronizao reflete um estado especial em que ambos os hemisfrios esto ativamente envolvidos nas mesmas frequncias. Os EEGs de meditadores experientes exibem uma sincronizao hemisfrica acima do comum bem como a capacidade de atingir estes Ambos os hemisfrios podem estar sincronizados em qualquer padro de ondas cerebrais tais como Alfa ou Theta, ou qualquer outra combinao. Esta caracterstica conduznos ao prximo tpico de interesse: os sons ou batidas binaurais.

A melhor forma de explicar os sons binaurais descrevendo por que e como so feitos, mas primeiro ser melhor abordar um pouco o seu criador.

Esta uma organizao dedicada ao estudo da conscincia e seus estados modificados. Ao longo de anos de pesquisa desenvolveram um processo capaz de alterar sistematicamente os padres de ondas cerebrais de forma a induzir estados de conscincia particulares. Monitorizando os sujeitos em estados alterados, Monroe e os seus colaboradores realizaram experincias com o som para modificar o estado mental de uma forma previsvel e controlada.

Com o tempo, esta equipe de pesquisadores desenvolveu o processo de criar sons binaurais. Este processo utiliza o princpio de harmonizao descritos anteriormente para conduzir o Criar frequncias de sons binaurais na verdade muito simples, quase mais fcil faz-lo do que explic-lo! Este processo consiste basicamente em aplicar estmulos auditivos em ambos os ouvidos.